terça-feira, 7 de abril de 2015

Pastor acusado de homicídio, permanece em silêncio no tribunal

Mulher é assassinada por Pastor (com golpes de navalha no pescoço) ao tentar intervir e socorrer sua cunhada que estava sendo agredida pelo homem. Durante julgamento, o Pastor preferiu ficar em silêncio.

Fonte: http://www.cmjornal.xl.pt

O pastor acusado de esfaquear duas mulheres em Carrazeda de Ansiães (Portugal), no distrito de Bragança em 04/08/2014, recusou-se nesta terça-feira (07/04/2015) a prestar declarações no início do julgamento em que responde pelos crimes de homicídio consumado e na forma tentada.

O arguido de 39 anos, que incorre na pena máxima de 25 anos de prisão, preferiu ficar em silêncio quando questionado pelo presidente do coletivo de juízes se pretendia falar sobre a acusação de ter agredido, em agosto, com uma navalha duas mulheres, provocando a morte a uma delas.

A vítima que sobreviveu, Maria Celeste, foi a primeira a testemunhar no julgamento que decorre em Bragança.

Contou ao tribunal como começaram as desavenças com o arguido de quem, segundo disse, era vizinha e amiga e a quem emprestou um armazém, alegado motivo dos conflitos que levaram às agressões que estão a ser julgadas.

Os crimes ocorreram há oito meses, na noite de 04 de agosto, numa festa da aldeia de Vilarinho da Castanheira, Carrazeda de Ansiães, no distrito de Bragança.

O suspeito esteve desaparecido durante 15 dias e acabou por se entregar voluntariamente às autoridades, a 19 de agosto, permanecendo, desde então, em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Vila Real.

O arguido, de 39 anos, responde pelos crimes de homicídio qualificado na forma consumada e homicídio qualificado na forma tentada. Uma das mulheres com 41 anos morreu e a outra, agora com 58, ficou gravemente ferida. Segundo a acusação, o arguido começou por se envolver numa discussão verbal com a vítima que acabaria ferida, ainda no recinto da festa.

O arguido terá mesmo arremessado cerveja à cunhada desta mulher, que se encontrava também no local e que viria a morrer.

A acusação descreve que o arguido seguiu a mulher que lhe mandara desocupar o armazém e os familiares até à residência e quando estes chegavam ao portão adiantou-se-lhes, agarrou o braço da mulher com quem iniciou a contenda, puxou-lhe a cabeça para trás e golpeou-a por duas vezes no pescoço.

A cunhada acorreu em socorro da vítima e acabou por ser morta com um golpe da mesma navalha no pescoço.

A acusação refere ainda que o arguido se afastou do local, mas regressou instantes depois empunhando uma espingarda ilegal e apontando-a ao marido da vítima mortal. Acabou por abandonar o local quando se terá apercebido do estado das vítimas.

Fonte: http://www.cmjornal.xl.pt


www.amigosdebolso.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Seja bem vindo(a) ao Mix Gospel News.
Qual a sua opinião sobre o assunto postado aqui?

Postagens mais visitadas